19 de setembro de 2018

Mutirão de São Paulo


          Nos dias 14 a 16 de setembro aconteceu na o Colégio Notre Dame, (Congregação das Irmãs Azuis) localizado no bairro do Sumaré, SP, sediou o Mutirão das Novas Gerações da VRC, a nível de São Paulo  promovido pelas Novas Gerações e CRB/SP, a fim de reunir religiosos junioristas e até dez anos de votos perpétuos visando o entrosamento  e partilha entre as diversas Congregações Religiosa presente nessa metrópole como também, reflexões sobre como está sendo nosso testemunho e escolhas, como consagrados e consagradas. O tema proposto, foi: “O Grito dos Pobres: Grito pela Vida”, tendo como pano de fundo os cinquenta anos de Medellín.

O Mutirão contou a assessoria da Professora Historiadora Mª Cecilia Domezzi, e com a presença da Irmã Clotilde Azevedo, Apostolina, Assessora Executiva da CRB Nacional, responsável pelo Setor Juventudes e Novas Gerações (NG), nosso querido Coordenador da CRB-SP Padre Rubens Pedro Cabral,OMI, e o Ir. Auristênio B. Bandeiras, ISC, representante da CRB-SP para as NG’s, ambos se entusiasmaram com a presença jovem religiosa em reposta aos apelos de Medellín das NG’s e nos motivaram para assumir e testemunhar com ousadia e coragem os apelos do Papa Francisco, de uma Igreja em Saída.
A Teóloga Maria Cecília Domezzi, que iniciou a palestra provocativa com o seguinte tema: 50 anos de Medellín: Memórias e perspectivas - Grito do Pobre, grito pela vida. Durante a explanação, a palestrante sublinhou que a consagração batismal, que nos torna reis, profetas e sacerdotes, deve ser entendida como fundamento da consagração religiosa profética e missionária. O grito abafado dos pobres deve ser compromisso das NG, assim como é compromisso do próprio Deus que vendo e conhecendo seu sofrimento, desce para libertar e dar vida plena.

                                                                          Como desafios atuais a teóloga trouxe:
- A Consagração radical a serviço do Reino; 
- Adesão ao Projeto de reforma do Papa Francisco;
- A renovação diária da opção pelos pobres; 
- As Novas Gerações de hoje herdam de Medellín todo a sua força “simbólica”, e isso pode ser um perigo, um risco, se perder de vista a opção preferencial pelos pobres, se ficar somente no simbolismo.
Como Igreja em Saída, em “Terras Sagradas” de missão, no dia 16/09, 57 religiosos e religiosas, e a assessora do Mutirão, “saímos as presas” inclinando os nossos ouvidos e corações em seis realidades de missão na grande cidade de São Paulo, que abriram as portas para nos acolher numa tarde, e unirmos forças no anúncio da Boa Nova, sendo presença e escuta, permitindo-se AFETAR pelos gritos.

Nossa gratidão aos grupos: Fraternidade O Caminho (Masculino e Feminino); Aliança de Misericórdia; Arsenal da Esperança; Casa da Paz, O Cortiço e Casa Belém que nos permitiram, essa intensa experiência, junto a diversas realidades: população de rua, refugiados, migrantes e imigrantes, prostituição; falta de moradia digna. Nestas realidades foi possível ouvir e deixar-se interpelar pelos “Gritos de Medellín” presentes no hoje.
Gratidão à todas as Famílias Religiosas que atenderam este convite das Novas Gerações-SP, em especial às Irmãs Azuis. Aos Grupos das NGs de Campinas, São Paulo, Aparecida, Santo André e aos que ainda nascerão diante da semente lançada... “Eis que estou fazendo uma coisa nova! (Is 43,19)
            À CRB Nacional e CRB SP que incentiva e acredita nas NGs, nossa gratidão e orações!!

Equipe de Coordenação do Mutirão das NGs -SP









Acampamento das NG no Rio de Janeiro


18 de setembro de 2018

PUXIRUM DAS NOVAS GERAÇÕES


         
Depois de meses de preparação e mudança de local o Grupo das Novas Gerações da Vida Religiosa Consagrada da Regional Manaus realizou o Puxirum, que significa mutirão em Tupi. O Puxirum aconteceu no período de 6 a 8 de setembro de 2018 na Comunidade Santa Margarida de Cortona, pertencente à Área Missionária que leva o mesmo nome, localizada no bairro Alfredo Nascimento. O objetivo do Puxirum das Novas Gerações da VRC foi celebrar os 50 anos do Documento de Medellin por isso teve como lema: Nos caminhos de Medellin. E, nesse caminho queríamos nos fazer próximos aos migrantes venezuelanos realidade também dura e cruel em todas as suas dimensões e, assim eles nos proporcionaram uma vivência enriquecedora partilhando conosco suas dores, sonhos e riquezas culturais.
Contamos com a participação de 9 religiosas: Débora (Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus SMIC), Katty (Adoradora do Sangue de Cristo), Gleide (Congregação de Nossa Senhora Cônegas de Santo Agostinho)), Solange e Fernandes (Congregação de Santa Teresinha), Maria Helena (Dorothéia), Hortência (Franciscana Missionária de Maria), Maria Aluana (Missionárias da Imaculada) e 1 religioso: Pe. Silas (Jesuíta), somaram conosco muitos leigos e leigas (venezuelanos e brasileiros), as Irmãs Delires e Rosane (Filhas do Sagrado Coração de Jesus), Pe. Roque (Jesuíta, Pároco da Área Missionária), Pe. Justino (Salesiano, Assessor Convidado), Pe. Luis Modino e a Pastoral do Migrante.Nossa hospedagem foi solidária na casa das famílias da Comunidade.
A motivação para o puxirum era fazer memória e refletir o documento de Medellin, assim o primeiro dia (06.09) de Puxirum foi dedicado ao estudo do Documento de Medellin, tivemos como assessor o Pe. Justino, Salesiano de Dom Bosco, indígena Tuiuca.

 À noite, chegaram os convidados, os venezuelanos indígenas Warao e não indígenas compartilharam conosco sua cultura venezuelana, após servimos um jantar típico da Venezuela (preparado por jovens venezuelanos e por nossa amiga Sandra colaboradora na cozinha), nesse prato tivemos: arroz, feijão preto, carne desfiada, salada, farofa e banana frita como no evangelho realizou-se um verdadeiro milagre da partilha onde comeram umas 200 pessoas, homens, mulheres e muitas crianças;
No dia 07.09, começamos cedo nossas atividades, fomos com a Área Missionária Santa Margarida de Cortona e com os venezuelanos para o Conjunto Habitacional Viver Melhor para participarmos do Grito dos Excluídos. Tempo bom para gritarmos por nossos direitos, pelo respeito à vida, à convivência pacífica e pelo cuidado com a nossa Casa Comum.
No período da tarde iniciamos as oficinas: recreação com as crianças, recreação com os jovens, escuta/ orientação social e um momento de relaxamento com massagem. Durante à noite nos reunimos quanto Grupo Novas Gerações na casa das Irmãs Filhas do Sagrado Coração de Jesus para jantar e fazer uma partilha orante de como estávamos nos sentindo diante dos momentos vividos, partilhados e experimentados até aquele momento.
No dia 08.09 continuamos com a manhã de oficinas e recreação, neste dia contamos com a presença da Pastoral do Migrante, que foi possível intermediar muitas solicitações de documentações e, também nos disponibilizamos para fazer os currículos de muitos que pediram e não tinham condições de ter acesso.
Com as doações recebidas conseguimos fazer um kit higiene e distribuir para 200 venezuelanos. Os gritos (fome, emprego, roupas, calçados, saúde... dignidade...) que escutamos nesses dias foram intensos carregados de muita dor, porém com esperanças de reconstruírem suas vidas no Brasil ou em outros lugares. E, assim no período da tarde celebramos juntos em espanhol a Eucaristia da vida nova, carregada de simbolismos do vivenciado durante os três dias.
              Nos marcou profundamente essa vivência partilhada e compartilhada, nos entrosamos de um jeito tão bom como se nos conhecêssemos há muito tempo, pois não tínhamos dimensão de como aconteceriam as coisas que tínhamos no papel, mesmo com todos os imprevistos nos saímos bem com apoio mútuo e atenção onde cada um estava para dar o suporte necessário e, assim fluíram as atividades e nossa vivência na base da confiança, entrega total, amizade e amor para com aqueles e aquelas que compartilhavam suas histórias conosco. Éramos nove do Grupo das Novas Gerações que foram triplicados por cada pessoa que somou conosco nesse grande Puxirum da vida, dedico aqui toda a nossa gratidão e estima a Área Missionária Santa Margarida de Cortona, Pe. Roque, Irmãs Delires e Rosane que animam essa área formada por leigos e leigas comprometidos com a vida. Aos venezuelanos pela participação, protagonismo e apoio nas atividades que se dispuseram a nos ajudar.
            Equipe de Organização: Ir. Katty, Ir. Gleide e Pe. Sila
Pela Coordenação das Novas Gerações Núcleo Manaus e
Pela Equipe Estadual das Novas Gerações Região Norte





Mutirão das Novas Gerações de Brasília

De 28 a 30 de setembro o Grupo Novas Gerações Regional Brasília esteve realizando, na Capela N. Sra. Aparecida, que pertence a Paróqui...