2 de outubro de 2018

Mutirão das Novas Gerações de Brasília



De 28 a 30 de setembro o Grupo Novas Gerações Regional Brasília esteve realizando, na Capela N. Sra. Aparecida, que pertence a Paróquia Nossa da Assunção em Ceilândia Sul–DF, o Mutirão Missionário com o tema “Novas Gerações da VRC em Missão: Celebrando 50 Anos de Medelín na Caminhada da Igreja”. Éramos 13 missionários/as de diferentes Congregações, como a proposta foi estendida a Vida Religiosa de Brasilia, contamos com a participação de algumas religiosas com mais de 10 anos de votos perpétuos.  O pároco, Pe. Moacir Gondim Nogueira Neto, foi muito receptivo a proposta e deu todo apoio necessário na comunidade, mobilizando lideranças e agentes de pastoral.
Chegamos ao local por volta das cinco horas da tarde do dia 28, fomos acolhidas/os na Paróquia pelo pároco e seguimos para a Capela N.Sra. Aparecida onde ocorreu a apresentação das famílias que nos hospedariam e dos missionários/as, a entrega dos materiais e foram das às orientações para o Mutirão. Seguimos para a casa das famílias acolhedoras aonde jantamos e tivemos o primeiro contato com a família. A noite ocorreu a Missa de abertura do Mutirão e um bate papo sobre a missão realizado pela Ir. Clotilde Prates de Azevedo da CRB Nacional.
No sábado as atividades iniciaram às seis e meia da manhã com a alvorada Missionária onde rezamos o Terço Missionário pelas ruas próximas a capela. Em cada mistério parávamos em uma casa para conhecer um pouco da história daquela família, em geral sofrida e, ao mesmo tempo, fazer memória de pessoas que marcaram a caminhada da Igreja no Brasil nesse período pós 50 Medelín, como por exemplo, Dom Luciano Mendes de Almeida, Pe. Josimo Tavares, Ir. Dorothy Stang e Margarida Maria Alves. Terminada a alvorada partilhamos, missionários/as e comunidade, um gostoso café comunitário.
Após este rico momento foram feitos os preparativos para as visitas, os/as missionários/as foram divididos em duplas tendo um acompanhante da comunidade. O sol forte e o clima seco, típico do Cerrado neste período, acompanharam este dia de visitas tendo como eixo motivador: “ser uma Igreja em saída, em busca dos mais necessitados”. A realidade encontrada pelos missionários/as foi marcada pela receptividade dos moradores, inclusive alguns evangélicos, mas também por histórias de superação, sofrimento e descaso político.
Ao término das visitas, na parte da tarde, nos reunimos para fazer a ressonância do vivido ao longo do dia em um clima de oração, escuta e reflexão. À noite, na Missa, rezamos com a comunidade o dia de Visitas, ao término da mesma gravamos com a comunidade um vídeo de apoio ao Papa Francisco.
O último dia do Mutirão iniciou com um momento orante, iluminados pela passagem bíblica de Mt 5,13-16. Concluindo o momento plantamos com alguns membros da comunidade eclesial duas mudas de árvores frutíferas (Graviola e Caju) como gesto simbólico do Mutirão. Em seguida realizamos algumas oficinas: Cine-fórum (Cultura da Paz); Apresentação Pastoral do Menor; Dinâmicas na área da Psicologia. Para as crianças tivemos brinquedoteca e pula-pula. Após o almoço concluímos com um rápido bate-papo avaliativo com o pároco.
Ao término desse Mutirão fica nossa gratidão a Deus por essa oportunidade, ao grupo de Religiosas/os que aceitaram o desafio de participar do Mutirão Novas Gerações, a CRB Nacional e a Regional Brasília pelo apoio e presença. Mas, nossa gratidão se estende a todos que de forma direta ou indireta contribuíram para que esse Mutirão Missionário das Novas Gerações Regional Brasília acontecesse.
     Equipe de coordenação
Ir. Maricélia Santos – Missionária de Jesus Crucificado  
Ir. Marizângela Silva - Missionária de Sta.Terezina
Ir. Maria Esteves – Irmãs Franciscana da Penitência
Ir. Maria da Conceição – Irmãs Calvarianas
Ir. Maria José Soares - Concepcionistas Missionárias do Ensino
Ir. Márcia Rosália - Divina Providência












26 de setembro de 2018

Mutirão do Mato Grosso



Nos dias 21 a 23 de setembro aconteceu o Mutirão Estadual (Mato Grosso) em Campo Novo dos Parecis (Centro catequético da Paróquia São Cristóvão), promovido pelas Novas Gerações (NG) e CRB/MT. O Mutirão reuniu religiosos/as da etapa do juniorato até dez anos de votos perpétuos e foi marcado pelo o entrosamento e partilha entre as diversas Congregações Religiosas presentes, como também pela reflexão do tema “Saiamos de pressa ao encontro da Vida”. O pano de fundo da temática estava em comunhão com a Igreja que celebra os 50 anos da Conferência de Medellín que fez da  “opção pelos pobres” a opção preferencial da Igreja Latino Americana.
O Mutirão contou com a assessoria da Irmã Clotilde Prates de Azevedo, Apostolina, assessora da CRB Nacional e responsável pelo Setor Juventudes e Novas Gerações. Sua presença foi muito importante, pois nos ajudou a conhecer um pouco da história do projeto “Novas Gerações” que tem como objetivo: “Oferecer caminhos para que se acolha as interpelações das Novas Gerações em seu dinamismo, exigências e potencialidade. Em um processo interativo entre varias gerações, em vista de ressignificar a Vida Religiosa Consagrada”. Nesta memória histórica percebemos a presença da NG “em saída”, transmitindo alegria e vibrações em diversas realidades e rostos. Sentimos que não estamos sozinhas, mas acreditamos que tudo está interligado, como nos diz o canto “tudo está interligado como se fossemos um... Tudo está interligado nesta casa comum...” (CirineuKunh); isso nos fortaleceu.
Tivemos como ícone do Mutirão Maria que visita sua prima Izabel e que nos convida a empreender um caminho de saída. Ela nos dá o exemplo de sermos, sensíveis, flexíveis e atentas aos sinais de Deus em nossa vida.  Como Religiosos/as das Novas Gerações também queremos fazer e experienciar esse movimento de ir ao encontro da Vida e firmar compromisso com a opção aos mais necessitados, os pobres e excluídos.
Em virtude desta adesão de estar e conhecer outras realidades, foi realizada uma visita aos Povos Originários da etnia Parecis na aldeia Quatro Cachoeiras. Fomos bem acolhidas pela família do cacique, que nos relatou sua história, tradição e cultura, nos impactando com seus sentimentos de gratidão e reflexões sobre a necessidade de se valorizar mais os Povos Originários. No Estado do Mato Grosso temos 43 etnias dos Povos Originários espalhadas em diversas regiões e que ainda não são visitadas ou conhecidas pelas Novas Gerações. São a estes lugares que precisamos sair depressa, sem medo do diferente, isso exige abertura de escuta aos clamores e gritos destes povos e nos impulsiona a nos comprometer com firmeza pela defesa da vida, onde ela estiver sendo ameaçada.
Para nós foi essencial o contato com a natureza, pois sentimos o frescor da mata e percebemos o quanto faz diferença respirar o ar puro da natureza onde os Povos Originários considerados os Guardiões da natureza cuidam com muito carinho.
Somos jovens e acreditamos que juntos podemos seguir sendo vozes de profetismo, assumindo e testemunhando com ousadia os apelos de sair depressa ao encontro da Vida, sobretudo onde a Vida está ameaçada, assim como Maria fez.
A caminhada da Igreja precisa ser acompanhada de adequada compreensão da realidade para que possa dar respostas aos clamores de hoje. A reflexão teológica se coloca nesta linha de contribuição a Igreja para que possa agir/responder de forma adequada. A partir de “Medellín” nasceu a “teologia da libertação”, em sintonia com a busca concreta de libertação que permeava o empenho de tirar da miséria e promover as populações pobres do continente latino americano. É nesse contexto que se situa a “opção pelos pobres”, que a partir de Medellín passou a ser uma característica marcante da Igreja latino-americana.
Somos convictas de que herdamos de “Medellín” o modo criativo de vivenciar o Concílio Vaticano II. Ao resgatar a memória da Conferência Medellín, que se tornou emblemática para a América Latina, nos damos conta do esforço para colocar em prática a opção preferencial pelos mais pobres. Somos também questionadas como NG’s a rever os desafios em que a opção pelos pobres está inserida hoje, não podemos perder o sentido da nossa consagração, porém, não podemos ficar apenas no simbolismo e na superficialidade.
Foram estes os ecos vividos nestes dias de partilhas, momentos de espiritualidade, confraternização e reflexão.
Manifestamos nossos sentimentos de gratidão à comunidade religiosa das Irmãs Capuchinhas de Madre Rubatto, aos Freis Capuchinhos e a toda comunidade e lideranças da Paróquia São Cristóvão, que se dedicaram com muito empenho para que pudéssemos vivenciar estes momentos significativos e marcantes.
Gratidão a todas as famílias religiosas que atenderam o convite das Novas Gerações-MT, e pelo acompanhamento e assessoramento CRB-MT e Nacional nas pessoas de Ir. Carol e Ir. Clotilde.
Equipe de Coordenação do Mutirão das NG’s- MT









25 de setembro de 2018

NG presente na assembleia eletiva do Rio -15 a 16 de setembro




UM ENCONTRO DE FÉ E POLÍTICA DAS NGs DE BH, POR QUE NÃO?



Na manhã do último dia 22 de agosto, depois de muitas tentativas de datas, a galera das NGs de BH conseguiu se encontrar no Parque Municipal da cidade. Apesar das dificuldades de agenda que estamos tendo, nosso combinado é não perdermos a perseverança dessa caminhada e nos encontros.
De forma saudável e respeitosa, conversamos sobre o atual contexto político brasileiro e o quadro das eleições presidenciáveis deste ano. Dialogamos sobre alguns pontos muito importantes, por exemplo: como tem sido as discussões políticas em nossas comunidades/famílias religiosas?; como temos percebido as consciências políticas dos jovens com quem trabalhamos na pastoral?; no que as pessoas estão se baseando para a escolha de seus candidatos? Uma coisa de fato todos concordamos: não podemos nos colocar alheios à atual situação política do país. Pelo contrário, precisamos ser reflexo de uma esperança profética em meio às pessoas. 
Por fim, como todos tinham levado um lanche a ser partilhado no encontro, resolvemos partilhar também com os moradores de rua que circulavam pelo parque naquele dia. Oxalá possamos nos encontrar outras vezes mais nesse ano para fortalecer nosso vínculo fraterno e crescer na amizade.
Frei Leandro Santos de Carvalho, OSA
Novas Gerações de BH

NG de Sobral se encontram

Dia 15 de setembro aconteceu o encontro das Novas Gerações na cidade de Sobral - Ceará.

19 de setembro de 2018

Mutirão de São Paulo


          Nos dias 14 a 16 de setembro aconteceu na o Colégio Notre Dame, (Congregação das Irmãs Azuis) localizado no bairro do Sumaré, SP, sediou o Mutirão das Novas Gerações da VRC, a nível de São Paulo  promovido pelas Novas Gerações e CRB/SP, a fim de reunir religiosos junioristas e até dez anos de votos perpétuos visando o entrosamento  e partilha entre as diversas Congregações Religiosa presente nessa metrópole como também, reflexões sobre como está sendo nosso testemunho e escolhas, como consagrados e consagradas. O tema proposto, foi: “O Grito dos Pobres: Grito pela Vida”, tendo como pano de fundo os cinquenta anos de Medellín.

O Mutirão contou a assessoria da Professora Historiadora Mª Cecilia Domezzi, e com a presença da Irmã Clotilde Azevedo, Apostolina, Assessora Executiva da CRB Nacional, responsável pelo Setor Juventudes e Novas Gerações (NG), nosso querido Coordenador da CRB-SP Padre Rubens Pedro Cabral,OMI, e o Ir. Auristênio B. Bandeiras, ISC, representante da CRB-SP para as NG’s, ambos se entusiasmaram com a presença jovem religiosa em reposta aos apelos de Medellín das NG’s e nos motivaram para assumir e testemunhar com ousadia e coragem os apelos do Papa Francisco, de uma Igreja em Saída.
A Teóloga Maria Cecília Domezzi, que iniciou a palestra provocativa com o seguinte tema: 50 anos de Medellín: Memórias e perspectivas - Grito do Pobre, grito pela vida. Durante a explanação, a palestrante sublinhou que a consagração batismal, que nos torna reis, profetas e sacerdotes, deve ser entendida como fundamento da consagração religiosa profética e missionária. O grito abafado dos pobres deve ser compromisso das NG, assim como é compromisso do próprio Deus que vendo e conhecendo seu sofrimento, desce para libertar e dar vida plena.

                                                                          Como desafios atuais a teóloga trouxe:
- A Consagração radical a serviço do Reino; 
- Adesão ao Projeto de reforma do Papa Francisco;
- A renovação diária da opção pelos pobres; 
- As Novas Gerações de hoje herdam de Medellín todo a sua força “simbólica”, e isso pode ser um perigo, um risco, se perder de vista a opção preferencial pelos pobres, se ficar somente no simbolismo.
Como Igreja em Saída, em “Terras Sagradas” de missão, no dia 16/09, 57 religiosos e religiosas, e a assessora do Mutirão, “saímos as presas” inclinando os nossos ouvidos e corações em seis realidades de missão na grande cidade de São Paulo, que abriram as portas para nos acolher numa tarde, e unirmos forças no anúncio da Boa Nova, sendo presença e escuta, permitindo-se AFETAR pelos gritos.

Nossa gratidão aos grupos: Fraternidade O Caminho (Masculino e Feminino); Aliança de Misericórdia; Arsenal da Esperança; Casa da Paz, O Cortiço e Casa Belém que nos permitiram, essa intensa experiência, junto a diversas realidades: população de rua, refugiados, migrantes e imigrantes, prostituição; falta de moradia digna. Nestas realidades foi possível ouvir e deixar-se interpelar pelos “Gritos de Medellín” presentes no hoje.
Gratidão à todas as Famílias Religiosas que atenderam este convite das Novas Gerações-SP, em especial às Irmãs Azuis. Aos Grupos das NGs de Campinas, São Paulo, Aparecida, Santo André e aos que ainda nascerão diante da semente lançada... “Eis que estou fazendo uma coisa nova! (Is 43,19)
            À CRB Nacional e CRB SP que incentiva e acredita nas NGs, nossa gratidão e orações!!

Equipe de Coordenação do Mutirão das NGs -SP









Acampamento das NG no Rio de Janeiro


Mutirão das Novas Gerações de Brasília

De 28 a 30 de setembro o Grupo Novas Gerações Regional Brasília esteve realizando, na Capela N. Sra. Aparecida, que pertence a Paróqui...